falconmnu@gmail.com

domingo, 24 de março de 2013

A BUSCA PELA SEGURANÇA ALIMENTAR

A sociedade em que vivemos é mesmo muito contraditória: ao mesmo tempo em que estabelece que na divisão sexual do trabalho, cabe ás mulheres as tarefas e as preocupações com a alimentação de cada família, nega a elas o papel de protagonistas,seja na definição das políticas de segurança alimentar, seja como beneficiárias dessas políticas. Assim quando se tratada produção agrícola, é comum as mulheres serem ignoradas no seu papel de produtoras de alimentos. N ão recebem créditos nem assistência técnica, e não reconhecidas como candidatas á propriedade da terra para fins de reforma agrária. Nas periferias urbanas, as mulheres (muitas delas chefes de família), tem a obrigação de esticar o pequeno orçamento doméstico e tentar fazer milagres para que todas as pessoas dentro de casa tenham o que comer. Porem, elas não são alvo das políticas de emprego, por exemplo. E não existem equipamentos públicos suficientes (como creches, escolas, centros de convivência,ou mesmo feiras e mercados com preços controlados) que permitam aliviar a pressão que sofrem para dar conta de todas as suas responsabilidades como trabalhadoras e mães. Nos postos de saúde, elas muitas vezes só recebem algum benefício quando estão grávidas ou amamentando. Não há uma preocupação com com as mulheres como indivíduos que, por sua situação especifica na sociedade -ganham menos, tem piores empregos, trabalham duramente fora e dentro casa (etc)- tendem a sofrer muitos mais doenças ligadas á desnutrição, além (etc).Ainda por cima as mulheres, sejam urbanas ou rurais, são absoluta minoria nas instancias de decisão (conselhos, fóruns) onde se discutem tais políticas públicas. SONHOS OU PESADELOS Essa situação decorre de dois fatores: Em primeiro lugar, de uma cultura que estabelece que o ideal, em termos de relações familiares, é uma família formada por um casal e suas crianças, na qual a mulher fique em casa cuidando do demais membros (crianças, doentes, pessoas idosas e do próprio homem)e o homem trabelhe fora e ganhe o suficiente para o sustento familiar. A contrapartida desse sonho ideal (na verdade, é um pesadelo para muitas mulheres) é a subordinação a que ela deveria se submeter. Quando trabalha fora de casa, é em funções subalternas, ganhando pouco, em profissões sem prestigio; dentro e fora de casa será sempre uma cidadã de segunda categoria, sujeita a todo tipo de violência (desde os estereótipos das propagandas de cerveja até a violência domestica sexual-embora seja sempre glorificada por sua abnegação no dia das Mães). Sabemos que essa família idealizada deixou de ser realidade há muito tempo, se é que existiu algum dia, seja porque a situação econômica apertou ( e muito), seja porque as próprias mulheres não querem mais se submeter a esse modelo.cada vez mais arcaico, e.Cada vez mais reivindicam o direito de serem pessoas integrais, valorizadas pelas suas qualidades, e que possam escolher livremente o seu destino -que não precisa, necessariamente, ser apenas o de esposa e mãe. Mas a sociedade não aceitou ainda essas mudanças e permanece tratando as mulheres como se estivessem infinitamente disponíveis para cuidar das outras pessoas, e nunca de si mesmas. Só as mulheres tem a obrigação de ser altruístas, de pensar primeiro nos outros. Para os homens, é normal que sejam egoístas. Para as mulheres, se alguma vez chegam a colocar a si próprias em primeiro lugar, é um pecado mortal. A solidariedade e o cuidado com os demais não deveria ser uma qualidade de todas as pessoas? O segundo fator que faz com que essa situação de desigualdade se perpetue é a forma como o próprio estado trata as questões que dizem respeito á reprodução das pessoas: comer, morar, educar-se, ter lazer, recebera tenção quando doente, (etc),tudo aquilo que tem a ver com a manutenção da vida. Parece que o individuo só existe para trabalhar, para gerar produtos ou serviços para a sociedade (e para as empresas). Todo o resto que as pessoas tem que fazer para sobreviver não interessa, é um problema das próprias pessoas. E normalmente acaba sendo um problema que recai sobre as mulheres. São elas que tem que fazer malabarismos para dar conta daquilo que o estado e a sociedade não proporcionam a sua população. É importante lembrar o fato de que hoje na nossa sociedade, é sobre as mulheres que caem as responsabilidades ligadas á alimentação. Mas isso não quer dizer que isso deva permanecer assim para sempre. A alimentação, assim como todos as outras questões que dizem respeito á reprodução da vida, devem ser preocupações de todas as pessoas. Mas queremos que as mulheres sejam respeitadas na sua experiencia histórica, por terem sido aquelas que, até hoje, lideraram com esses temas. É verdade que hoje em dia isso começa a mudar, quando alguns programas de transferência de renda (cartão-alimentação, bolsa família e outros) estabelecem que, prioritariamente, as mulheres deverão ser as titulares dos benefícios. Isto é importante porque vai consolidando, cada vez mais, a ideia de que as mulheres devem ter recursos próprios e gerencia-los. É sabido que um dos fatores mais importantes na manutenção da subordinação das mulheres é a dependência econômica em relação aos homens. Assim qualquer medida que proporcione ás mulheres renda, acesso á propriedade, melhor instrução, melhor emprego, será sempre bem-vindas. Quanto á segurança alimentar, é importante lembrar as lutas que as mulheres estão travando, no mundo todo, não somente para ter acesso aos alimentos, mas também para que esses alimentos sejam adequados e de qualidade, e que respeitem os hábitos culturais. A luta contra os transgênicos, por exemplo, encabeçada por agricultores do movimento via campesina e por movimentos de consumidores e consumidoras no brasil- muitos deles liderados por mulheres-são exemplos disso. As lutas contra a pobreza e a exclusão são importantíssimas quando se pensa em políticas que melhorem a segurança alimentar e, ao mesmo tempo propiciem a autonomia das mulheres. Um bom exemplo é a campanha organizada pela marcha mundial de mulheres, para dobrar o salário mínimo no Brasil em quatro anos. Quanto mais pobres, mais as mulheres estarão sujeitas aos desmandos de uma sociedade machista para tentar sobreviver, e isso significa mais violência e atraso para todas as pessoas. Criando políticas que respeitem as necessidades e os desejos das mulheres e aliviem concretamente os sofrimentos da vida cotidiana, todos e todas teremos a lucrar. Emma Siliprandi

terça-feira, 19 de março de 2013

Bem hoje 19 de março dia do padroeiro da cidade de Itabuna,denominado são José para uns idolatria para outros fé e amor ao seu culto religioso na verdade o que é idolatria? para que não sabe idolatria e amar ou ter como ídolo tudo aquilo que não existe de fato ou peca coisas como pessoas, imagens estatuas seja ela de cimento barro louça ou qual que material criado pelo homem que peca, pecamos quando endeusamos pessoas famosas ricas coisas ou lugares de qual existe seres que cometem erros existe todas as formas de idólatras os idólatra pessoas famosas ricas ou políticos existe os idólatras religiosos existe os idólatras políticos existe os idólatras partidários e existe os idólatras sociais para mim os piores são os idólatras políticos e religiosos são pessoas que passam por cima de qual quer tipo de informação, ou formação para servir seus lideres em nome da fé o idólatra poli´tico faz ou passam por cima de tudo ou de todos para servir e enricar o político mesmo sabendo que ele é corrupto por tanto o que se pede é sejam coerentes sensatos e respeite a escolha religiosa de cada pessoa pois não cabe a nos, decidirmos o rumo que cada um quer tomar para isso, não temos autorização se criticarmos. A festa do padroeiro da cidade é preconceito, se criticarmos a religiosidade do evangélico isto é preconceito se criticarmos o direito do adepto de religião de matriz africana de exercer sua fé não é diferente isto é preconceito, por tanto respeitemos as escolhas religiosas de cada um sejamos justos com nós mesmo afinal o Brasil, é um país laico não tem uma religião oficial nascida ou criada no próprio país sendo que cada cidadão tem seus direitos garantido pela constituição brasileira e isto ninguém tem o direito de tirar por tanto respeitem a vida do nosso povo...

OS RUMOS QUE DEVEMOS TOMAR

Bem já são 71 dias de um novo governo e dentro deste pequeno espaço de tempo ´percebemos que o atual gestor já é vitima de criticas constantes, as vezes de forma correta e as vezes meio que insana sem precedentes temos motivos de sobra para criticar certas nomeações que não entendemos o por que delas, mas no que diz respeito a trabalho acredito que o novo gestor está tentando fazer o melhor a saúde, está com dificuldades afinal o gestor passado deixou uma situação de emergência, e educação foram encontrados problemas assistência social não ficou pra trás, finanças isso nem se fala rombo dividas calote os canteiros de obra quem quiser poderá ver sucateamento total por tanto eu digo tem criticas que são. Louváveis mas tem criticas que são vazias sem preceitos, sem precedentes é preciso que sejamos contundentes nas criticas até para que não atrapalhe o novo gestor acredito que ele vai levar em conta aqueles que querem ajudar de uma certa forma todos nós somos ansiosos por emprego eu mesmo sou desempregado tenho esperança de poder trabalhar na nova gestão sei das dificuldades por tanto tenho que ter paciência é preciso que compreendemos que as coisas não se resolvem da noite pro dia por isso que eu sempre coloco tem criticas que procede mas tem criticas que não tem como absorver, as vezes por falta de informação ou descontentamentos usamos os site para desqualificar um governo que devemos torcer pra dá certo independente da escolha partidária ou da situação política, de cada um sabemos que determinadas nomeações no atual governo foram infelizes mas devemos acreditar que ele o prefeito vai rever tal situação, acredito é preciso fazermos uma corrente forte em pró do atual prefeito independente da escolha religiosa precisamos estarmos unidos em nome da fé por todos amem
Bem temos no país pessoas formadas em determinadas áreas de atuação seja medicina, educação, administração, assistência social ou em qual quer outra área mas só que nem todos que são formados são esclarecidos ou tem conhecimentos de alguma causa, por exemplo quem adere uma determinada religião cumpre com a determinação dos pastores se buscar alguma informação sobre o fundamento da sua determinada denominação, isso acontece em todas as religiões á acatólica dá livre arbítrio aos fieis e adora imagem á a evangélica tem regras muito duras e só querem dinheiro á a religião de matriz africana invoca o diabo elá é religião da africa, uma religião de negros diabólica, ai o que é interessante é que essas pessoas que fazem determinadas criticas a religião tal não tem qual quer tipo de conhecimento sobre o fundamento de cada uma delas a primeira denominação evangélica no Brasil,foi implantada em 1517 logo após o descobrimento ou melhor precisando, 17 anos depois o descobrimento ou invasão como eu costumo chama-las, por tanto tanto a religião católica quanto a evangélica ou até mesmo de matriz africana não são religiões oficial do nosso território nacional, o que na verdade tínhamos como oficial foram o cultos dos povos indígenas, que cultuavam seus ancestrais, nada mais do isso por tanto esta tentativa insana de aplicar um golpe em determinada religião é um ato criminoso que tem que ser punidos com rigor as pessoas que usam de golpes sujo contra a escolha religiosa de cada um do direito de escolha cada pessoa tem liberdade para decidir para onde vai seguir, por tanto paremos de causar atos insanos de golpear as decisões de cada um seja Marcos Feliciano,Silas Malafaia, RR Soares, Valdemiro Santiago ou Edir macedo ou qual quer que seja a pessoa ligadas ou não a determinadas religião não temos o direito de decidir pelas escolhas religiosas de ninguém, por tanto vamos ter um pouco de respeito pelas pessoas nada mais do isso nada mesmo...

Rede Brasil de Noticias: Marco Feliciano pede "sepultamento" de pais de san...

Rede Brasil de Noticias: Marco Feliciano pede "sepultamento" de pais de san...: E a vida do pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) continua sendo devassada após ser eleito presidente da Comissão de Direitos ...